Archive for the ‘SBT’ Category

>SBT – Sistema Bem Trabalhoso

>

“Mais vale a lágrima da derrota, do que a vergonha de não ter lutado” autor desconhecido

Tem certos assuntos que a gente só guarda para nós, por vergonha do que os outros poderiam pensar de você,  são situações que por nós sentirmos vergonha, sabemos que são ridículas, ou até não são para os outros, mas são para você. Então por via das dúvidas colocamos na nossa sombra, lendo um livro esses dias descobri que isto se chama “efeito sombra”. (muito bom livro Efeito Sombra) muito esclarecedor. 

Esta história que colocarei de mistura de sonhos e loucuras, estava na minha sombra, e estes dias compartilhei com pessoas, contando minha luta por um sonho… e resolvi escrever.

Tudo começou nos anos 80 eu deveria ter por volta de 11 anos, meu amigo Marquinhos havia me contado que tinha ido com o pai de um amigo nosso o Afonsinho, no SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) pois o pai desse nosso amigo era cameraman, e tinha um trabalho lá de sábado e levou eles para acompanhar as gravações… Eu sempre gostei de televisão, acho o máximo até hoje, e confesso que comecei a me aproximar do Afonsinho para ver se um dia ele me levava também, demorou muito tempo, pois não tínhamos muita amizade, então tive que ir devagar. Mas um sábado eu estava em casa e toca minha campainha, era o Afonsinho me chamando para ir com ele no SBT, nossa! meu coração quase saiu pela boca. Isso me tinha custado muitas bolinhas de gude, corridas em volta do quarteirão a pé (ele adorava correr), fitas de video game, alguns dos meu gibis da Turma da Mônica, foi um investimento alto…rsss Mas para falar francamente o Afonsinho era muito boa gente, de uma família bem estruturada e fina, só não tinhamos muita amizade por causa da diferença de 2 ou 3 anos de idade, que nessa época da vida pesa muito (eu era mais velho).

Enfim estava eu a caminho do SBT (na época TVS e era na Vila Guilherme bairro aqui de São Paulo) chegamos lá, fui perguntando logo se o Silvio Santos estava lá, mas não estava. Fiquei doido de felicidade. parecia um pinto no lixo, conheci os estúdios onde fazia o Bozo, a Mara Maravilha, o Jornal do SBT, meus olhos brilhavam. Naquele momento eu já sabia o que eu queria para minha vida, que até então era ser piloto de avião, eu queria trabalhar na televisão, não sei fazendo o que, mas queria e muito, cameraman, office-boy, ou seja qualquer coisa… eu precisava estar ali dentro, naquele clima alucinante para sair tudo certo.
 Mas lógico eu era muito novo, ainda muita coisa poderia acontecer na minha vida, mas eu nunca esqueci, nunca, meus pais mudaram de cidade, depois voltaram para São Paulo e eu sempre pensando nisso.

Eu já estava com uns 18 anos quando comecei de verdade a luta pelo meu sonho, comecei a mandar currículo para o SBT, todo o mês mandava, e mandava para atuar em áres diferentes, office-boy, caboman, produção, motorista. Nesta altura eu já trabalhava em uma empresa de consórcio, e usava máquinas de escrever e os selos postais para fazer e mandar o tal currículo, se me pegassem eu ficava sem emprego. O tempo foi passando e eu mandava sempre, já sem nenhuma esperança, mas mandava.

Minha irmã conseguiu ir para trabalhar em uma produtora de comercial de televisão, ela trabalhava como recepcionista, eu vi um caminho por ai, ia todo o dia de ônibus lá buscar minha irmã (como se ela precisasse!) para ver se conseguia assunto com alguém para entrar no meio. Mas minha irmã ficou pouco tempo lá, não deu tempo de me aprofundar no sistema.
Saí do consórcio, comecei a trabalhar com meu tio Cininho em sua oficina, e sempre com esperança.
Então descobri que um vizinho meu trabalhava no SBT, mas minha amizade com ele se resumia a “oi e tchau” eu não conhecia nenhuma pessoa influente que pudesse me dar uma forcinha, e vi nele mais uma chance, mas como?. Minha mãe começou a ficar amiga da mulher dele, e por golpe do destino ele sofreu um acidente de moto, se machucou todo e a mulher dele não conseguia ou não tinha coragem de cuidar dos curativos, e minha mãe se propos a ajuda-la, e eu ia junto para dar força ao meu novo amigão…rsss . Fiquei bem amigo do Hélio, compartilhei com ele minha vontade, e ele se prontificou a entregar meu currículo para uma pessoa influente no Depto Pessoal. Fiquei muito feliz e esperançoso, ligava para minha mãe todo o dia em casa para saber se alguém tinha ligado do SBT, mas nada, nada, nada… Nunca me ligaram, fiquei frustrado, mas continuei com esperança que ainda conseguiría de alguma forma.
Foram passando os anos veio a internet, e tome currículo pela internet no site do SBT, mas nada também.
Um amigo meu, se envolveu em um resgate no túnel do Anhangabaú aqui em São Paulo, o túnel encheu de água devido a chuva e as pessoas que estavam no lugar subiram no teto dos carros, e ele viu uma mulher se afogando e a salvou, então as televisões vieram entrevista-lo, e ele apareceu em um monte de telejornais. Com isso tive uma idéia, ligar para a produção do programa Domingo Legal e perguntar se eles queriam fazer uma entrevista com meu amigo, ele me deu o consentimento (embora achou que eu não ia conseguir) então liguei. Falei com um dos principais produtores do programa, chamava-se Sérgio e ele adorou a idéia, então passei o contato do meu amigo herói, e o Sergio me perguntou qual era meu interesse nisso, por ter passado, ai eu “travei” não esperava uma pergunta tão direta, eu desconversei mas ele “macaco velho” insistiu, mas não achei adequado falar, eu queria fazer uma amizade com ele primeiro. Domingo está lá meu amigo no palco do Gugu, contando sua história e ganhando vários presentes, e eu em casa todo orgulhoso por ter feito parte disso, pensando, um dia em um domingo, milhões de pessoas assistiram uma programação na tv graças a mim, para quem escuta um negócio desse pode não significar nada, mas para mim que gostava tanto dessas coisas era a felicidade quase plena. 
Passaram alguns dias, liguei para o Sérgio, mas já percebi que não estava tão interessado assim na minha voz, claro… a vida anda, tv é dinâmica, mas foi super educado comigo sempre, ele apareceu algumas vezes lá na oficina do meu tio (para dar alguns reparos no carro dele) e então achei que era hora, disse meu desejo a ele por telefone, mas não contei os detalhes, e ele disse que era para eu ir lá na Anhanguera (Central do SBT) e  entregar meu curriculo para ele, fui nas nuvens, se um cara como ele não conseguisse ninguém mais conseguiria, ele por ser um dos principais produtores do Domingo Legal eu já me considerava dentro. Levei o currículo, em um dia até que ele não conseguiu me dar muita atenção, mas enfim as esperanças voltaram. Mas mais uma vez, nada feito, não me chamaram, nem nunca me ligaram, não tinha muito mais o que fazer, não podia encher o saco do Sérgio mais do que já tinha enchido…
Cheguei em pensar de tentar ver o Silvio Santos e entregar na mão dele meu currículo, mas não sabia muito da rotina dele, na época não havia o Pânico na TV, que escancarou as idas dele no Jassa Cabelereiro, senão com certeza eu teria ido na maior cara de pau…

Eu não podia escutar falar que uma pessoa trabalhava no SBT que já ia eu com meu currículo na Anhanguera, conheci: o Marcos (iluminador), conheci um senhor que trabalhava na produção do Ratinho, fui duas vezes no programa do Ratinho para entregar na mão dele meu currículo… Entreguei na mão da filha do Valentino Guzzo (Vovó Mafalda)… mas também nada

Acredito que no total, com conhecidos e internet eu tenha mandado uns 50 currículos, e umas 10 idas e vindas ao CT da Anhanguera.

Eu aprendi muitas coisas com isso, que fez parte da minha vida por tantos anos, tenho a tranquilidade de saber que dentro do que eu podia eu lutei para realizar… Não me sinto frustrado, tive o desejo frustrado, mas acho que tudo aconteceu da maneira que tinha que ser. Nunca mais mandei nada, porque hoje tenho minha vida e estou satisfeito com o rumo que ela tomou… Acredito que tinha que ser assim… Aprendi a desistir também… até isso também se tira de lição… Tem um ditado japonês que diz:

“Lutar ou correr faz parte da batalha, não podemos ficar parados…”

Anúncios